RESERVA DE EMERGENCIA

Como esse tema tem estado bem em alta, trouxe para você entender através de um olhar de quem trabalha diretamente ligada ao assunto.

Atendo pessoas que nem se quer entendiam esse conceito e algumas, mesmo tendo conhecimento, não sabiam como sistematizar essa reserva, poupando sim, mas correlacionando em projetos que estão distantes de ser a famosa Reserva de Emergência.

Definição de emergência pelo Google:

“situação grave, perigosa, momento crítico ou fortuito”

Entenda que para se alcançar uma mudança em sua vida financeira, alguns hábitos e maneiras de pensar vão precisar de um certo upgrade e muita vontade de fazer dar certo.

Digo isso, porque existem etapas que garantem esse sucesso, e o primeiro deles é a Reserva de Emergência. Vamos falar dos outros, mas vamos começar do começo…

Deixa-me te falar de forma simples! Não adianta fazer reserva para projetos, viagens, aquisição de bens materiais, se num dado momento, você ou alguém adoece e você precisa desinteirar essa grana, entende?

Serão 2 problemas:

1.Uma emergência (óbvio)

2.Frustração de usar um dinheiro que você havia programado para algo importante para você

Reserva de Emergência se encaixa nas seguintes situações:

-Conserto de aparelhos eletrodomésticos, como uma geladeira, máquina de lavar. Itens que são indispensáveis para seu uso no dia-a-dia;

-Conserto do seu veículo, digo conserto, caso algo quebre inesperadamente, o pneu furou…Não é a mesma coisa que manutenção programada, esse último deve estar no seu orçamento mensal;

-Desemprego ou longo período sem receita no caso de empreendedor/empresário;

-Doenças e acidentes que te impeçam de trabalhar num determinado tempo;

-Emergências familiares

-Reparos inesperados da sua residência;

 

Como se chega no valor dessa reserva?

*Se você for um empregado de carteira assinada, com direitos a receber no caso de ser mandado embora, você pode se programar para ter uma reserva segura de 3 a 6 meses de despesas mensais mínimas. A ideia inicial é não gastar sua rescisão com despesas mensais até que você se recoloque.

*Se você for um empreendedor/empresário, e o valor da sua receita mensal não é fixa, assim como a quantidade de prestação de serviços, o ideal é você se planejar para um maior período, entre 6 a 12 meses mínimos.

Em ambos os casos, o cálculo básico é saber quanto você gasta por mês nas suas obrigações e multiplique pelos meses que você acha seguro entre 3 a 12.

Mesmo que pareça ser um valor muito alto, trabalhe por ele, mesmo que no mínimo, mas garanta que você esteja cuidando de construir sua reserva.

Vá poupando mensalmente, reduza algumas despesas, faça um trabalho extra…tenha disciplina, é por você e por sua tranquilidade, uma dor de cabeça a menos, não é verdade?

Ah! Muito importante! Reserva de Emergência se mantém em investimentos seguros, garantidos pelo FGC, de alta liquidez, onde você possa resgatar de 0 a 1 dia, mesmo que renda pouco! Fique atento também aos que descontam Imposto de Renda, Taxa de Administração, IOF…quanto menor o tempo do resgate, maior a mordida nos seus rendimentos no caso do IR.

Resumo:

Reserva de Emergência é para emergência!

Se estamos falando de projetos futuros, viagens, aposentadoria, sonhos…estamos falando de outras etapas na construção de capital, ou como falamos, outras caixinhas.

E essas outras caixas precisam ser analisadas de ângulo específicos no que se diz respeito a investimentos, cada caso é um caso.

Vou colocar o assunto em ordem resumida para você:

1-Entenda suas despesas mensais

2-Calcule pela quantidade de meses que você pretende ter de reserva

3-Garanta que você consiga poupar mensalmente para esse fim

4-Procure onde rentabilizar com segurança e com alta liquidez

5-Se atente as taxas envolvidas no investimento escolhido

Te desejo muita consistência nessa jornada!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *