Desempenho profissional x Endividamento

A pedidos, para quem não pôde acompanhar essa live na última segunda-feira, quero trazer aqui esse ponto super importante que pode fazer todo o diferencial para você empresário e para você funcionário!

O empresário costuma conhecer seu funcionário através de sua produção ou desempenho na maioria das vezes, não é verdade?

Em momentos onde o desempenho está comprometido, geralmente o contratante traz em primeiro momento a possibilidade do descarte desse funcionário.

Afinal de contas, é cultural ainda ouvirmos sobre a importância de não misturar a vida profissional com a pessoal.

Há estudos que trazem a relevância de criarmos ambientes atualmente mais flexíveis e humanizados, isso gera impulsionamento de resultados! E daí fica mais fácil de trocar o olhar impessoal com quem você empresario, divide seus projetos e metas, sonhos…

O levantamento feito pela “The Employer’s Guide” de 2018-2019, no Reino Unido, mostra que 15% do rendimento dos colaborados são afetados quando causados pelo endividamento.

Por aqui, quem mede é o SPC, que registra 62 milhões de pessoas da população adulta com contas atrasadas, o que representa 41% da população. Veja como esse dado é grave!

Você consegue ver o início de uma grande bola de neve se formando?

São sinais de que a vida pessoal do seu funcionário vai afetar sua empresa sim!

Pessoas que vivem essa situação estão expostas a sintomas como insonia, depressão, síndrome do pânico.

E com sintomas como esses elas estão pré dispostas a tomarem péssimas decisões, ter mal humor…Como manter a produtividade desse jeito?

Essas pessoas costumam receber tanta pressão psicológica, seja das cobranças telefônicas persistentes e ameaças, assim como a cobrança familiar, na própria empresa, que seu nível de tensão acaba acarretando algumas doenças, que podem começar através da hipertensão, cardiopatias e outras, que impedem qualquer tipo de concentração.

Demitir um funcionário por falta de produção gerado pelo endividamento não pode ser a razão alegada pela empresa. Segundo advogados trabalhistas , o funcionário demitido por essa razão pode recorrer e acabar tendo o direito de receber indenização por danos morais.

E como a empresa pode e deve contribuir com seu funcionário e retomar sua melhor performance?

As empresas devem e podem implementar programas internos de Educação Financeira.

Esse trabalho é possível através de:

  • Palestras e treinamento in company
  • Workshops
  • Levantamento e acompanhamento individual
  • Mentorias
  • Orientações em grupo específicos

Através desse trabalho, os funcionários serão direcionados a sair do vermelho e a empresa com toda certeza, colherá os frutos dessa recuperação da qualidade de vida do seu profissional!

 

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *