PREVIDÊNCIA PRIVADA – COMO ESCOLHER

VOCÊ SABE PARA QUÊ SERVE E COMO ESCOLHER A MAIS ADEQUADA?

Contratar uma Previdência Privada é uma opção para guardar recursos financeiros pensando na aposentadoria, em assegurar sua família, porém, se não forem feitas boas escolhas, não é garantido que você tenha uma boa renda futura em relação à rentabilidade, que é o que com certeza o que mais lhe chama a atenção!

Agora, quanto a você conseguir encontrar produtos melhores, não duvido. Mas aqui, a ideia é te mostrar como funciona e te ajudar a chegar numa visão mais clara sobre o assunto, não te indicar.

É preciso entender o funcionamento e as características de cada plano para escolher o mais adequado para você, então vou listar aqui os pontos que você precisa conhecer antes.

VGBL OU PGBL     

PGBL – Plano Gerador de Benefício Livre – Indicado para quem faz declaração completa de IR e para quem deseja contribuir em previdência até 12% da renda anual tributável com a intenção de usufruir da dedução anual do imposto de renda durante o período da acumulação. Neste modelo sua tributação será calculada pelo montante, totalidade acumulada quando fizer o resgate e tem a função de ser um plano complementar.

VBGL – Vida Gerador de Benefício Livre – Indicado para quem faz declaração simplificada de IR e para quem já tem previdência complementar e/ou já abate o limite máximo de 12% da sua renda bruta anual. Os valores depositados não podem ser deduzidos da base de cálculo do IR. O montante do plano será tributado somente no momento do resgate sobre a diferença entre aportes e rendimentos.

REGIME DE TRIBUTAÇÃO

📌Antes de escolher o regime de tributação, é importante analisar qual o prazo que você pretende deixar o valor investido e qual o valor estimado do seu benefício ou resgate.
Caso você decida por um benefício mensal de até R$1.903,98, a tabela progressiva pode valer mais a pena pois nesse caso você estaria isento de IR.
Já na hipótese de investimento para resgate de um montante maior, investido em um prazo maior do que 10 anos, a tabela regressiva deve valer mais a pena.

-Regime Progressiva

Seque tabela de alíquota do IR incidente sobre a renda anual tributável. Quanto maior a renda, maior a alíquota aplicada. Esse modelo sempre existiu e segue as mesmas alíquotas já aplicadas aos salários, ou seja, os percentuais variam de zero, ou isento, a 27,5%, dependendo do valor.

-Regime Regressivo

Vinculado ao tempo de aplicação e possui tabela própria. Quanto maior o tempo, menos a alíquota do imposto no resgate. Esse regime é indicado para longo prazo. No resgate total, o cálculo se baseia numa média. Logo, só os aportes feitos acima de 10 anos que recebem a tributação de 10%. Ela começa com a alíquota do imposto mais alta, em 35%, para investimentos mantidos por dois anos. Como o próprio nome diz, a tabela vai regredindo até a alíquota chegar a 10%, que é válida para depósitos mantidos por dez anos ou mais.

TAXA DE CARREGAMENTO

Faça pesquisas sobre a taxa de carregamento antes de adquirir a previdência!
Pode até parecer tentador a proposta que você recebeu, mas se você tem taxas que comprometem demais sua rentabilidade para o resgate no futuro, melhor buscar outras opções, né?!

E o que é Taxa de Carregamento? Taxa onde o porcentual incidente sobre as contribuições pagas por atender as despesas administrativas, corretagem e colocação do plano. Essas taxas são cobradas antes do dinheiro ser aplicado no fundo de investimento, onde posteriormente começará a render.

– São 3 tipos de taxas de carregamento:

  • Antecipada – No momento do aporte
  • Postecipada – Incide somente em caso de portabilidade e resgate
  • Híbrida – Cobrança ocorre tanto na entrada quanto na saída

Importante pesquisar entre várias administradoras, pois existem opções de taxa zero de corretagem desde o início.

TAXA DE ADMINISTRAÇÃO

A gente corre quando fala de taxas né! Pois é…se tratando sobre Previdência Privada vai ver que pode haver outras inclusas.
E o que é Taxa de Administração? É uma taxa cobrada pelo trabalho do administrador do dinheiro, ou seja, taxa de administração do fundo vinculado ao plano. Em geral, quanto mais complexa a gestão dos recursos, contendo ações por exemplo, maior é a taxa. A taxa de administração é cobrada diariamente sobre o valor total da reserva, e a rentabilidade informada é líquida, portanto, o valor da taxa já é descontado.

É o que vai para o seu bolso, restando apenas a dedução dos impostos, a depender do tipo de plano e regime de tributação já explicados anteriormente. É importante ficar atento! A cada taxa adicionada, mais sua rentabilidade é afetada.
Por isso, todo detalhe na hora da sua escolha faz toda a diferença!

RETORNO (rentabilidade)

Parece simples não é? E é para quem já sabe desses detalhes.⠀
Minhas dicas:
📌Não escolha um produto financeiro que não te faça sentido para o que espera!
📌Pesquise o histórico, as alternativas, avalie todas as etapas que trouxe durante a semana
📌Não se esqueça de se atentar ao cenário econômico atual para entender o melhor produto
📌Identifique seu perfil – Imagina você buscando super rendimentos com uma previdência conservadora (100% renda fixa) a juros de 4,25% ao ano e com uma taxa de administração, carregamento…IR no saque…? 😩

Se você já tem a sua previdência, revise sua performance no mercado, pode ser que encontre produtos melhores ou que já esteja preparado a dar passos mais ousados em busca de maior rendimento.  Por fim, é importante analisar o histórico de desempenho do fundo de investimento vinculado ao plano. É preciso solicita-lo ao administrador ou acessá-lo utilizando o CNPJ do fundo, em sites especializados.

Através do histórico de rentabilidade será possível:

  1. Avaliar a qualidade da gestão, observando o desempenho no gerenciamento dos recursos
  2. Checar a passagem por diferentes cenários de mercado
  3. Buscar pela preservação e crescimento do patrimônio a longo prazo.

E agora? Parece estar mais simples de entender como funciona?

Até a próxima!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *